Translate

PUB

motopneucity.com

sábado, 6 de outubro de 2012

Casal K190 - Turismo



Motor Casal M131, um motor de 50cc para fins industriais.

Casal K190 Turismo produz 5.3cv às 7500rpm. Esta maquina de 50cc tem uma caixa de 4 velocidades.
Casal K161 de 1967 estando disponível com arranque a pedais ou KickStart, fazendo dela a primeira motorizada da Casal.
 
Ao observar a exposição de qualquer grande loja de motorizadas, entre as peso-pluma Japonesas,  certamente encontrará  uma ou duas Casal.
Apesar do estilo ser parecido com o  das motorizadas vindas do país do sol nascente, elas de facto vêm de uma cidade de Portugal chamada Aveiro.
Portugal nunca teve reputação na construção de motorizadas e motas, mas as coisas estão a mudar e existe lá uma industria em expansão..
As principais empresas são a SIS e a Casal, apesar de existirem outros construtores de menor dimensão.
Enquanto que a SIS fabrica motorizadas de 50cc com motor Sachs importado, a Casal produz os seus próprios motores e componentes de motorizadas. Por um lado a história da Casal podia ser como a da Honda, só que numa escala muito menor e com um progresso mais lento.
Não sendo Portugal um dos países mais ricos, os meios de transporte baratos têm sido um dos bens mais procurados nos ultimos anos. O clima é muito agradável para viagens em duas rodas e são basicamente estas  as principais razões  para a criação e crescimento de uma indústria nacional de Motas e Motorizadas.
Curiosamente a empresa Casal de início não tinha previsto construir Motociclos.  O Senhor João Casal formou a sua empresa em 1953 para produzir motores. Inicialmente estes destinavam-se à  agricultura e indústria, mas também  foram construidos outros para várias outras fábricas instalarem nas suas Motorizadas.
Olhando para os pequenos motores Casal constata-se que os carteres pelo menos relembram os da grande marca  alemã da Zundapp.
Não é uma surpresa,  se soubermos que quando o sr. Casal formou a sua empresa contratou técnicos da Zundapp que estiveram ao seu serviço pelo menos até 1971
Todos os motores Casal produzidos até hoje foram construções a dois tempos, mas isso poderá mudar no futuro.
Construindo a sua nova fábrica em 1953 em Aveiro, uma cidade com 30.000 habitantes, o sr. Casal cedo viu uma boa possibilidade do mercado interno absorver o seu produto. É fundamental a conquista do mercado interno quando se quer exportar para o estrangeiro. Na verdade mesmo hoje em dia cerca de 80% da produção da Casal é vendida em Portugal! Os motores, a maior parte deles com turbina de ar, vendem-se bem, e foi em 1965 antes do primeiro veículo Casal ser produzido.
Foi de facto um motor de Scooter chamada  Carina S170. Tratava-se de uma 50cc a 2 tempos com potência de 5.2cv às 7300rpm.
A corrente traseira é em banho de oleo e é um modelo que prova ser popular. A primeira Motorizada surgiu em 1967 e tratava-se da K160 de duas velocidades.
Muito normal nas motorizadas, foi acompanhada pela K161, possuindo esta arranque a pedais ou kickstarter. No meio disto a empresa mudou o nome para Metalurgia Casal SARL tornando-se uma Sociedade Anónima de Responsabilidade limitada.
As motorizadas provaram ser tão populares como a Scooter e os motores vendem-se  muito bem. A fábrica apresenta um aumento de 30% ao ano.
Casal S2, uma maquina com 2 velocidades no punho e 2.5cv.

Casal SS4 Super Sport desenvolvendo 5.2cv às 7500rpm do motor de 50cc
Quando em 1970, foi acordado que a fábrica Casal se deveria tornar independente dos Consultores da Alemanha Ocidental, foi necessário recrutar Engenheiros novos vindos das Universidades Portuguesas.
A troca no pessoal coincidiu com a evolução da corrente situação e determinou a forma como a empresa deveria direccionar os seus esforços no futuro. Os Japoneses eram obviamente as pessoas a observar, e os Engenheiros olham cuidadosamente para os tipos de maquinas que eles farão no futuro e em grande quantidade.
Uma novidade de grande importância. Foi revelada uma  nova mota de 125cc, a K260.
motopneucity.com
Com muito bom aspecto, apresenta um quadro em aluminio, 5 velocidades e debita 12 cv às 7000rpm.
Indubitavelmente, a produção desta linha de montagem demonstrou que os portugueses aprenderam muito com os seus tutores, e podem produzir motorizadas de grande qualidade.
Depois de uma tão grande expansão, a empresa começa a ter um grande interesse na exportação. As primeiras motorizadas entraram na Dinamarca em 1968, mas agora outros países estão na mira. Um tentáculo da fábrica será brevemente aberto em Angola, a qual servirá para cobrir os países do Sul de Africa. Outros países serão brevemente abastecidos directamente por Aveiro.
Casal K270 de 125cc a 2 tempos e a K280 de  250cc  de 1975, equipadas com travão de disco na roda da frente.
A Classe de 50cc e também a de 75cc foi um grande negócio para a Casal nos inicios da década de 70. Foram estas as classes onde a Casal ganhou maior sucesso. Uma grande quantidade destas motorizadas sairia dos portões da fábrica nos anos seguintes: Verdadeiras Turisticas com arranque a pedais, motores de turbina de ar e correntes totalmente tapadas:  Modelos desportivos para atrair a juventude,  e mesmo pequenas motorizadas Trail.
Muitas motorizadas têm sem duvida um aspecto oriental e isso é uma jogada sábia.
O público que procura estas pequenas motorizadas é atraido por esta concepção e a Casal benificiou com isso. Mas de nenhuma forma a Casal copiou os Japoneses, seguindo  meramente  as suas tendências.
As mais desportivas 125cc foram produzidas, sendo a K270 a de maior interesse. O motor é praticamente igual ao utilizado na K260.,
Muito atraente para os jovens, a K270  vem equipada com um  travão de disco frontal e tem uma imagem muito desportiva.
Enquanto a produção de Motociclos e Ciclomotores se  faz a bom ritmo, o desenvolvimento de maquinas de maior capacidade continua.
Foi comunicado que a 125cc de motocross se encontrava em testes mas não apareceria ainda em 1976. O que apareceu em 1975 foi uma nova 250cc de estrada, a K280.
Inteiramente nova, motor incluido, é uma mota muito atraente, uma dois tempos na melhor tradição da Casal.  Tem um longo escape e  um travão de disco na roda da frente.  Ainda não foi produzida, devido ao facto da Casal ainda continuar com a mota em testes.
Certamente promete vir a ser uma excelente maquina.
Há também noticias de  que a Casal está a desenvolver motores de 350 e 500cc, rompendo com as suas tradições, devido ao facto de serem motores a 4 tempos.
Tal como a Honda, a fábrica Casal quer produzir automóveis. Em 1976 já foram tomadas deligências para esse fim.

Duas vistas da Casal K186 Phanton 5, uma motorizada desportiva de 5 velocidades comandadas pelo  pé. É apresentada com novos travões de tambor  à frente e atrás.
O senhor Casal nunca sonharia que a sua fábrica fosse crescer tanto. Novos edificios foram construidos com o passar dos anos; Eles cobrem mais de 17.000m2 e ainda vão crescer mais! A força de trabalho cresceu igualmente, e hoje são mais de 1000 pessoas.
E não é para afrouxar o ritmo, pois será muito maior no futuro. Qualquer dia  a produção de Portugal poderá vir a ser mais identificada quando se falar em Casal do que quando se falarem nos famosos vinhos de origem Portuguesa!
A K260 de 1972 foi o primeiro modelo a sair para a rua depois da troca dos Alemães pelos Portugueses

Sem comentários:

Enviar um comentário

Mensagens populares